História da Cidade

Início > História da Cidade


Dados Históricos

 

O Município de Marabá Paulista possui pouco mais de 5.567 mil habitantes, localiza-se na Região de Presidente Prudente e teve sua origem em um povoado do Município de Presidente Venceslau, denominado Areia Dourada, formado por diversas fazendas. Em 1938, vários colonos, mormente nordestinos, iniciaram o povoado de Areia Dourada, tendo, na época, a cultura de algodão como sua principal fonte de renda. Seis anos depois, pelo seu grande desenvolvimento e progresso foi elevado a Distrito de Paz.

Em 1953, foi elevado a Município com o nome de Marabá Paulista, que segundo o “Pequeno Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa” de autoria de Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, significa “mestiço de francês com índio” ou “Filho de Índio com Branco”.
Atualmente a atividade econômica de Marabá Paulista, tem perfil de serviços da administração pública, conforme dados do SEADE do ano de 2007, o Município de Marabá Paulista pratica lavoura de subsistência, a pecuária está em declínio.

Um dado significativo é que Marabá Paulista está entre os dez municípios com maior número de famílias em ocupação dos Movimentos Socioterritoriais, destacando-se o Movimento dos Sem Terra – MST (Mançano, 2005).

O Comercio da cidade é pequeno sendo que a população tem por hábito fazer suas compras nas cidades vizinhas. O município possui um único banco “Nossa Caixa & Banco do Brasil”, um posto do Bradesco na agencia do Correio Local e casa lotérica & caixa federal, possui algumas repartições públicas, posto de saúde, um presídio e cinco escolas. No entanto, a maioria dos bancários e funcionários estaduais e ainda alguns municipais moram em cidades vizinhas, isto quer dizer que tais estabelecimentos pouco colaboram para a diminuição do índice de desemprego dos moradores da cidade.

Levando-se em conta que a população adulta, na sua maioria não possui qualificação para o “mercado” de trabalho, com um baixo nível de escolaridade, sendo compostos por assentados, arrendatários e pequenos proprietários que trabalham em empregos temporários nos cortes de cana-de-açucar, lavouras e em outros serviços inerentes ao meio rural. O êxodo rural foi marcante na década entre 1980 e 1991, atingindo um taxa de 49,18% de acordo com dados do IBGE, senso de 1991. Os recursos sócio-culturais são praticamente inexistentes, resumindo-se a poucos eventos que ocorrem esporadicamente.

Fundação de Marabá Paulista

O Municipio de Marabá Paulista, situado a oeste do Estado de São Paulo, 4º maior municipio do Estado de São Paulo em extensão territorial, medindo 962 km2. População: ano/2007 de 4812 habitantes.cidade das melhores festas populares da região.

Marabá Paulista começou num povoado denominado “Areia Dourada”, pertencente ao município de Presidente Venceslau. O local era constituído por duas grandes propriedades que perfaziam a sua área total as fazendas Santo Antônio e Ribeirão das Antas.

Em 1938, um grupo de agricultores nordestinos iniciou no povoado a cultura do algodão. Com o passar dos anos, além dos nordestinos vieram os comerciantes imigrantes da Espanha, Itália e também do Japão.

Fundadores

Marabá Paulista teve muitos fundadores, dentre eles se destacam João Ambrósio, Emiliano Vilanova, Midiseu Coreda, Ênio Pepino, Lúcio Mariano Pero e José Maria da Mota. Ênio Pepino era dono das terras do perímetro urbano de Marabá Paulista e fez a doação das terras para a implantação do município.

Formação Administrativa

Devido seu grande desenvolvimento e progresso, pelo Decreto-Lei nº 14.334, de 30 de novembro de 1944, o povoado foi elevado a Distrito de Paz, com o nome de Areia Dourada. Foi lhe dado este nome porque naquelas localidades podia se encontrar uma grande quantidade de areia.

Foi elevado a município da Comarca de Presidente Venceslau, com sede na vila de igual nome (ex Areia Dourada) e com território desmembrado do respectivo distrito. Sua instalação aconteceu em 1º de janeiro de 1954.

Como município ficou constituído de um único distrito: o de Marabá Paulista, que pertence a 102ª Zona Eleitoral.

A origem do nome “Marabá” é desconhecida. Mas segundo o Pequeno Dicionário da Língua Portuguesa de Aurélio Buarque de Holanda, a palavra significa “mestiço de francês com índio” ou “filho de índio com branco”.

A primeira eleição realizada em Marabá Paulista, elegeu como prefeito Lúcio Mariano Pero e o vice Atayde Gomes. Eles foram empossados em 1o. de janeiro de 1955, pelo juiz de Direito de Presidente Venceslau, Francisco Matera. O mandato durou de 1955 a 1958.

Os vereadores eleitos nessa primeira eleição foram: Amador Rocha Neto (presidente da Câmara), Expedito Pimenta Xavier (Vice-presidente), José Inácio dos Santos, Francisco Bueno Brandão, João Augustinho Panucci, Cassiano Martins dos Anjos, Silvino José Decarli, Adão Lima e Nauridin Alvarenga.

A denominação dos habitantes (gentílico) do município é marabaense.

Questão fundiária – Foram desapropriadas duas fazendas do município para a Reforma Agrária. Da Fazenda Areia Branca foram desapropriados pelo Incra 1.873 hectares em 30 de setembro de 1989. A Fazenda Santo Antonio também foi desapropriada pelo Itesp em 1999, onde 73 famílias foram assentadas.

Construções

As primeiras construções na cidade eram simples e de madeira. Algumas, as mais resistentes ainda podem ser vistas até hoje na cidade, como o prédio da antiga prefeitura, situado na Rua Arcanjo Miguel Pero e o prédio antigo na avenida Álvaro Antunes Coelho.Atual Avenida Dr Alvaro Coelho.

Atualmente, a cidade possui a maioria das casas construídas em alvenaria.

Existem poucas casas de madeira em Marabá, mas o índice de construções é baixo, devido à carência financeira da população. As principais vias públicas são a avenida Álvaro AntunesCoelho atual avenida dr alvaro coelho, rua Cafelândia, rua Arcanjo Miguel Pero, rua Coronel José Marcondes, rua Manoel Pereira Goulart e rua José Teodoro.

Visitas Ilustres
Visitaram o Marabá Paulista na época em que foram governadores do Estado de São Paulo o governador Mário Covas, Orestes Quércia, Paulo Maluf, Egídio Martins (que fez um grande comício), a deputada Bia Pardi, que veio atender um pedido da escola local para palestrar sobre o plebiscito parlamentarismo e presidencialismo. Também esteve na cidade fazendo comício os deputados Paulo Lima e Mauro Bragato.

Executivo

Prefeito Atual: Hamilton Cayres de Sales
Vice- Prefeito:Wilson Guidorizzi

Mandato: Ano 201 3 a 2016

Ex-Prefeitos: Elizeu Fonseca da Rocha» Hamilton Sebastião Silva» João Agustinho Panucci» José de Souza» Lucio Mariano Pero» Nelson Aparecido da Silva, José Monteiro da Rocha

Símbolos de Marabá Paulista

O Brasão de Armas
O Brasão do município foi desenhado por Raimundo Lima Brás. Para a escolha do brasão foi mobilizada toda a cidade através de concurso, promovido pela Escola Estadual de Marabá Paulista. O concurso aconteceu na década de 80, e premiou o vencedor com a oficialização do brasão de sua autoria.

O desenho deste símbolo municipal conta com dois homens, um com uma enxada e o outro com um machado em uma das mãos. Com a outra mão eles seguram o brasão no centro da bandeira.

Também há um pé de algodão que simboliza a primeira cultura praticada em Marabá; os dois arados e os dois berrantes contidos no brasão representam a agricultura e a pecuária local, por serem atividades desenvolvidas no município. Os dois homens segurando os instrumentos de trabalho, simbolizam os próprios agricultores de Marabá.

Bandeira
Desenhada por José Pereira de Souza, a bandeira também foi escolhida através do mesmo concurso.

Instituições Financeiras

O primeiro banco de Marabá Paulista foi a agência da Caixa Econômica Estadual, que funcionava inicialmente junto com a Coletoria Estadual.
Em 1975 passou a funcionar em prédio separado na avenida Álvaro Antunes Coelho. No ano de 1977, passou a ser agência durante governo de Paulo Maluf, sob a administração do prefeito Hamilton Sebastião Silva.

Entretanto em 11 de setembro de 1981 foi inaugurado o prédio próprio da instituição financeira, na avenida Álvaro Antunes Coelho, onde funciona até hoje.

Três anos depois, em 1984, foi instalado na cidade um posto do Banespa e em 1978 a agência do Banco Itaú. Mas depois de alguns anos por falta de lucros, estas agências foram fechadas.

Atualmente A nossa Caixa foi vendida para o Banco do Brasil.

Comunicação

A cidade nunca possuiu jornais. O primeiro meio de comunicação da cidade foi o sistema de alto-falante, instalado por Arthur Barra Nova, sendo o primeiro locutor Ézio Forato. O alto-falante foi instalado na avenida Álvaro Coelho.

Após um tempo a cidade contou com duas empresas de alto-falantes, que fazem o serviço de divulgação de propagandas do comércio e notícias da cidade. Há um que funciona no Centro Comunitário e o outro na igreja católica. Mas hoje somente o da igreja funciona.

As informações como falecimentos, horários de missas e reuniões paroquiais, avisos das escolas para a comunidade, vacinações etc

Correios
A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos mantém uma agência no município. As comunicações telefônicas estão a cargo da Telefônica.

Música
Antigamente havia conjunto musical formado por moradores do município. Elestocavam desde as tradicionais marchinhas de carnaval aos forrós nas matinês.

Este conjunto foi formado por José Cassimiro da Silva, o primeiro e único conjunto de Marabá. Na música atual se destaca, Cláudio de Souza, que já gravou o seu primeiro CD e apresentou sua música em canal aberto pela Rede Bandeirantes de Televisão.

O primeiro coral musical da cidade foi o “Coral Doroti Chaves”, criado em 1997 durante gestão do prefeito Hamilton Silva. Ele é formado por jovens e adolescentes.
Marabá Paulista já possuiu fanfarras que eram formadas por alunos da escola municipal. Estas fanfarras abrilhantavam os desfiles no aniversário da cidade, que era marcado com parada de bandas e exibição de carros alegóricos. Hoje tem de banda no município.

Ensino

A primeira escola de Marabá Paulista funcionava no local onde hoje fica o Posto da Polícia Militar. Em instalações precárias, tendo o prédio construído de madeira, possuía quatro salas de aula e uma diretoria.

Em documentação, verificou-se que pertencia ao município de Presidente Venceslau e funcionava desde 1949 quando Marabá ainda era Distrito de Paz.

Conforme alunos que estudaram ali na década de 50, a presença do diretor Samuel Carneiro e o inspetor de alunos Adamastor de Carvalho, eram peças fundamentais do início do ensino marabaense. Os primeiros professores foram Dona Adalgisa de Carvalho e Silvia Maximino.

A primeira matrícula registrada na escola de Marabá foi realizada em 1950, do aluno Alvino Serra. No ano de 1952 esta instituição passou a ser denominada como Grupo Escolar de Areia Dourada.

Os diplomados de 1952 foram Elias Ferreira, Azor Levi, Anísio Mariano, Dirce Cereja, Odacir Sebastião da Silva, Dirce Pessoa e Lúcia Navarro.
Os professores eram Hélio Neves, Júlio Filho, Machado, Neide Melione , Ferreira, Edna Pereira, Therezinha Muller e Hygia Agnes Aguiar. O diretor na época era Machado.

Mais tarde, no ano de 1954, construíram um prédio de alvenaria com seis salas de aula, uma sala de professor, uma biblioteca e uma diretoria com secretaria.

Em 1969 é criada a escola que passou a chamar Escola Estadual de Primeiro Grau de Marabá Paulista. Devido o grande contingente de alunos, em 1971 foi construído um novo prédio.

Desde então ficou estabelecido que os alunos do ensino fundamental e médio estudariam na Escola Estadual de Primeiro e Segundo Grau de Marabá Paulista, no prédio novo. Já os alunos de 1ª a 4ª séries permaneceriam estudando no prédio velho.

Atualmente a escola municipal esta totalmente reformada e equipada com material adequado para desenvolver suas atividades.
Foi feito a construção de uma área de lazer no prédio da Escola Municipal de Educação Infantil “Vó Doró” para que a recreação das crianças matriculadas na pré-escola.

Estatísticas de Marabá Paulista

Latitude: 22º04S

Longitude:51º 56 w

Altitude: 405 m

Área Terrestre: 962 km2

Aspectos Físicos
Localização geográfica:
O município está localizado a oeste do Estado de São Paulo, com distância de 650 Km da Capital, com acesso pela rodovia Raposo Tavares e General Euclides Figueiredo. Possui uma altitude de 630 metros ao nível do mar.
Limites:
Ao Norte: estão Presidente Venceslau, Piquerobi e Caiuá
Ao Sul: Mirante do Paranapanema e Teodoro Sampaio
A Leste: Santo Anastácio
A Oeste: Presidente Epitácio

Divisões Municipais:

Conforme a Lei N° 8.092, de 28 de fevereiro de 1964, publicada no Diário Oficial do Estado em 29 de fevereiro de1964, as divisões de Marabá Paulista dos seguintes municípios conta do seguinte:

Com município de Caiuá começa no Ribeirão dos Guachos ou Santa Cruz, na foz do Córrego São João ou Prata; segue pelo Contraforte Fronteiro até cruzar com o Divisor entre este córrego, à direita. E o Rio Santo Anastácio, à esquerda, segue por este divisor, até a cabeceira do Córrego Jaguatirica, pelo qual desce até a sua foz no Rio Santo Anastácio, pelo qual sobe até a foz do Córrego Santa Maria.

Com Presidente Venceslau começa no Rio Santo Anastácio, na foz do Córrego Santa Maria; sobe pelo Rio Santo Anastácio até a foz do Ribeirão Saltinho.

Com Piquerobi começa no Rio Santo Anastácio, na foz do Ribeirão do Saltinho; sobe por aquele até a foz do Ribeirão Santo Antonio.
Já com o município de Santo Anastácio a divisão começa no Rio Santo Anastácio, na foz do Ribeirão Santo Antonio; pelo qual sobe até a foz da Água Rasa; sobe por esta até a sua cabeceira no espigão – Mestre Santo Anastácio – Paranapanema.

Com Mirante do Paranapanema começa no Espigão-Mestre Santo Anastácio, na cabeceira da Água Rasa: segue pelo Espigão-Mestre até cruzar com o Espigão-Mestre Paraná-Paranapanema; continua daí até a cabeceira do Ribeirão da Lagoa, Água Sumida ou Cachoeira.

Com o município de Teodoro Sampaio, começa no Espigão-Mestre Paraná-Paranapanema,na cabeceira do ribeirão da Lagoa, Água Sumida ou Cachoeira,pelo qual desce até a foz do Córrego do Macaco ou São Carlos.

Com o município de Presidente Epitácio começa na foz do Córrego do Macaco ou São Carlos No Ribeirão da Lagoa, Água Sumida ou Cachoeira; prossegue Contraforte Fronteiro até cruzar com o Divisor Lago o Água Sumida ou Cachoeira-Anhumas; segue por este Divisor em demanda da foz do Córrego Iporá, no Ribeirão Anhumas; sobe pelo Córrego Iporá até a sua cabeceira; prossegue pelo Divisor Anhumas-Guachos ou Santa Cruz, até cruzar com o Contraforte da margem direita do Córrego Lagoa; segue por este contraforte até a foz deste Córrego, no Ribeirão Guachos ou Santa Cruz, pelo qual desce até a foz do Córrego São João ou Prata, onde tiveram início estas divisas.

Relevo e Hidrografia
O relevo é plano, com cotas de 200 a 400 metros, cuja monotonia é quebrada pela presença de pequenas serras com altitudes pouco acima dos 400 metros, constituindo superfícies bastante trabalhadas pela erosão.

A rede hidrográfica é tributária do Rio Paraná, sendo formada pelo Rio Santo Anastácio, Ribeirão Areia Dourada, Córrego São João ou da Prata, Ribeirão das Anhumas, Ribeirão Santo Antonio e Ribeirão da Água Sumida.

Clima
Clima Tropical megatérmico, próximo aos limites mesotérmicos e subúmido. Verão em torno de 31°C, embora possam atingir 40°C. O inverno em Marabá é ameno, com médias mensais próximas de 18°C, todavia as mínimas diárias próximas de 0°C não sejam muito raras sob a ação de fortes massas de ar de origem polar, quando o fenômeno de geada se faz presente.

O total anual de chuvas é alto chegou a atingir 1300mm, porém é muito mal distribuído. Em outubro a março a precipitação é de 70%, de junho a agosto, apenas 2%. Em virtude do regime anual de necessidade ambiental de água, nem o verão tem grandes excedentes de água, nem o inverno tem grandes déficits.

Vegetação
A vegetação na cidade é de floresta semi-decídua tropical que recobria todo o planalto paulista, constituía-se na principal cobertura vegetal do município. Foi inicialmente derrubada, para a implantação de pastagens de invernada, que posteriormente foram substituídas em parte por monoculturas.

Solo
Em sua maior parte o solo de Marabá Paulista, como o de toda região, é ácido, muito poroso, bem drenado, com baixo teor de minerais e de acentuada profundidade (latossolo vermelho-amarelo). Há também solo de boa consistência, bem desenvolvido, proporcionando o uso de mecanização.

Lazer
Para realização de festas, bailes e demais eventos sociais, a população marabaense conta com Centro Comunitário de Promoção Social.
Visando o lazer e bem estar da comunidade, Marabá também possui uma piscina municipal, estádio de futebol, ginásio de esportes, quadras poli-esportivas, mini-campo de futebol, quadras de areia para voleibol, sendo todas públicas e de acesso à população.

Pesqueiro
O Pesqueiro Santa Rita é uma outra opção de Lazer de Marabá Paulista. O local que é de propriedade de Rosemeire Aparecida Kageyama, possui Pesque-Pague, onde possui uma diversificada lanchonete munida também de parque para a diversão das crianças.
Poderes Executivo e Legislativo
Biografias: Ex-Prefeitos Ex-Presidentes da Câmara

Primeiro Prefeito – Lúcio Mariano PeroO primeiro prefeito de Marabá Paulista era um funcionário público. Lúcio Mariano Pero é considerado um dos fundadores da cidade. Além de trabalhar em instituições estaduais, exerceu a função de professor, diretor de escola e empresário. Era casado com Dirce Vieira Pero, e teve três filhos.
Relação dos Prefeitos, Vice-Prefeitos e Presidentes de Câmara

De 1955 a 1958Prefeito: Lúcio Mariano PeroVice-Prefeito: Ataide GomesPresidente da Câmara em 1955Amador Rocha NetoPresidente da Câmara de 1956 a 1958: João Agustinho Panucci

De 1959 a 1962Prefeito: João Agustinho PanucciVice-Prefeito: Nilo FurlanPresidente da Câmara de 1959 a 1962: Nelson Aparecido da Silva

De 1963 a 1966Prefeito: Sebastião FurlanVice-Prefeito: Manoel Guirado SeguraPresidente da Câmara de 1963 a 1964: José Natalício dos SantosPresidente da Câmara de 1965 a 1966: João Agustinho Panucci

De 1967 A 1969Prefeito: João Agustinho PanucciVice-Prefeito: João AmbrózioPresidente da Câmara de 1967 a 1969: Manoel Messias Ferreira

De 1970 a 1972Prefeito: Hamilton Sebastião Silva Vice-Prefeito: Luíz Cassemiro AlvesPresidente da Câmara de 1970 a 1971: Nelson Aparecido da SilvaPresidente da Câmara de 1972: Severino de Souza Barbosa

De 1973 a 1976Prefeito: Nelson Aparecido da Silva (Até 31/12/1975)Francisco Ferreira Sobrinho (De 01/01/77 a 31/01/77)Vice-prefeito: Francisco Ferreira SobrinhoPresidente da Câmara de 1973 a 1974: José Augusto de Oliveira Presidente da Câmara de 1975 a 1976: Julio Rodrigues Azenha

De 1977 a 1982Prefeito: Hamilton Sebastião SilvaVice-Prefeito: Severino de Souza BarbosaPresidente da Câmara de 1977 a 1978: Elizeu Fonseca da RochaPresidente da Câmara de 1979 a 1980: Aldo Nery BredaPresidente da Câmara de 1981 a 1982: Elizeu Fonseca Da Rocha

De 1983 a 1988Prefeito: Eliseu Fonseca da RochaVice-Prefeito: Francisco Ferreira SobrinhoPresidente da Câmara de 1983 a 1984: Eli Roberto ChavesPresidente da Câmara de 1985 a 1986: José Monteiro Da Rocha Presidente da Câmara de 1987 a 1988: Roberto Massaru Nishizima

De 1989 a 1992Prefeito: Hamilton Sebastião Silva (Não tem biografia) Vice-Prefeito: José Martins de Almeida Presidente da Câmara de 1989 a 1990: Eli Roberto ChavesPresidente da Câmara de 1991 a 1992: Francisco Ferreira Sobrinho

De 1993 a 1996Prefeito: Eliseu Fonseca da Rocha Vice-Prefeito: Floripes Colete de AlmeidaPresidente da Câmara de 1993: Antonio Edvan de LimaPresidente da Câmara de 1994: José de SouzaPresidente da Câmara de 1995: Roberto Massaru NishizimaPresidente da Câmara de 1996: José Monteiro da Rocha

De 1997 a 2000Prefeito: Hamilton Sebastião SilvaVice- Prefeito: Orlando Firmino GonçalvesPresidente da Câmara de 1997 a 1998: Eli Roberto ChavesPresidente da Câmara de 1999 a 2000: Hamilton Cayres De Salles

De 2001 a 2004 Prefeito: José de SouzaVice-Prefeito: José Monteiro da Rocha Presidente da Câmara de 2001 a 2002: Antonio Edvan de LimaPresidente da Câmara de 2003: Domingos Perosso Neto

De2005 a 2008
Prefeito: Jose Monteiro da Rocha
Vice_Prefeito:Dirceu Arfelli
Presidente da Camara de 2005 a 2008

De 2009 a 2012
Prefeito: Jose Monteiro da Rocha
Vice_Prefeito:Dirceu Arfelli
Presidente da Camara de 2009 a 2012
Antonio Edvan de Lima 2009 a 2010
Erick Regis Rocha 2011 a 2012

Religião

A história da religião entre o povo marabense inicia-se na década de 40, quando a primeira igreja católica é fundada. Em uma construção modesta, feita de madeira, a pequena igreja ganha o nome de Santo Antônio – em homenagem ao santo padroeiro do então distrito. Ela se localizava no final da avenida Álvaro Antunes Coelho, no cruzamento com a rua da Serraria.
Somente em 1956, foi construído um novo prédio da igreja católica, a atual Paróquia Santa Terezinha que fica dentro de uma praça, na avenida Álvaro Antunes Coelho.
A data oficial da fundação da paróquia é em janeiro de 1956, tendo como o primeiro padre Frei Dionísio Gonzáles. O primeiro batizado foi realizado em 23 de janeiro de 1956, e o primeiro casamento realizado por Frei Ciriaco Remon celebrou-se no dia 08 de janeiro de 1956.
Os primeiros padres moradores do Marabá foram: padre Guilherme Hirber (1966), Hugo Montedonio (1975) e o padre Jurandir Severino de Lima (2003).No momento Pe Alvaro Ribeiro Cruz.
Em 2001, no Dia de Santo Antonio foi inaugurada a Capela Santo Antonio. A capela foi construída no exato lugar onde havia sido construída a primeira igreja.

Outras Igrejas

Assembléia de Deus
A igreja mais antiga depois da católica é a igreja Assembléia de Deus, fundada em 1961. Seu primeiro pastor foi José Dias da Silva, sendo o pastor atual Jonas de Oliveira Santos.

Congregação Cristã
Anos depois foi fundada na cidade a igreja Congregação Cristã doBrasil. Fundada no início da década de 70, pelo moderador Azor Levi, ao longo dos anos alcançou conquistou dezenas de fiéis. Atualmente é dirigida por José Aguiar.

Avivamento Bíblico
A próxima igreja a chegar na cidade foi a denominação Avivamento Bíblico, fundada em 2001 pelo pastor Daniel Fernandes da Cunha, que é o atual pastor.

Deus é Amor

A igreja Deus é Amor surgiu em 1992, o seu primeiro pastor Antonio Fernandes de Souza.

Igreja Batista

A igreja Batista do Calváriofoi fundada em 1997, sendo o primeiro pastor Albenir.
Igreja de Deus
A Igreja de Deus em Marabá foi fundada em 2002, o primeiro e atual pastor é Aparecido Bezerra de Sá.

Testemunha de Jeová
A igreja Testemunha de Jeová, chegou em Marabá em 2003.